adsense

Campanha de Redução do Consumo de Sal

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) com parceria com o Ministério da Saúde e a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) está lançando uma campanha chamada Campanha de Redução do Consumo de Sal.

Ontem o Jornal Nacional passou uma matéria sobre o consumo excessivo de sal pela população brasileira. Pra que não assistiu, veja o vídeo abaixo:
*Apenas fazendo uma correção: no vídeo, a repórter fala que a sigla V.D., que consta nos rótulos dos alimentos, significa "valor desejável", mas, na verdade, significa Valor Diário, e mostra a porcentagem de nutrientes presentes na porção daquele alimento em relação ao que é necessário ingerir em um dia todo.

O objetivo dessa campanha é conscientizar a população em relação ao uso excessivo do sal e orientar sobre como fazer boas escolhas na hora de adquirir alimentos.


Nunca é demais falar que o consumo excessivo de sal contribui para o aumento do risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), como: hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e doenças renais.

No Brasil, em 2007 as DCNT responderam por 72% do total das mortes por causa conhecida. É claro que o sódio não é o único responsável por essas doenças e mortes, existem outros fatores envolvidos, mas é muito importante ficar atento a isso.

De acordo com uma pesquisa que a Anvisa fez o ano passado, existem diferenças significativas em quantidades de nutrientes (inclusive sódio) entre produtos semelhantes, mas de marcas diferentes. Isso quer dizer que vale a pena comparar os rótulos dos produtos pra fazer escolhas mais saudáveis

De acordo com as Diretrizes Brasileiras de Hipertensão, a quantidade máxima de sódio a ser ingerida durante o dia (por pessoas que não apresentam hipertensão) é de 2g.

Entre os alimentos que contém maiores teores de sódio está o macarrão instantâneo, o famoso miojo, e se você não viu o post falando sobre ele CLIQUE AQUI.

Fonte: ANVISA
Imagem: Google Imagens

Escrito por Laís Simino
Nutricionista - CRN3 32722/p 

3 comentários :

Postar um comentário